AMRS debate fundos comunitários para a península com CCDR

26
visualizações

Teresa Almeida esteve em Setúbal e ouviu argumentos dos autarcas

A Associação de Municípios da Região de Setúbal (AMRS) debateu, na segunda-feira, o acesso da península de setúbal a fundos comunitários, com a presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT).

- Pub -

A presidente da CCDR, Teresa Almeida, deslocou-se a Setúbal, e o encontro teve lugar nas instalações da AMRS, na Quinta de S. Paulo, com presença, por parte da associação de municípios, de Rui Garcia, autarca da Moita e presidente do conselho directivo, do vereador Manuel Pisco, da Câmara de Setúbal e vice-presidente, e de Sofia Martins, secretária-geral.

Os encontros sobre o acesso a fundos da União Europeia vão continuar no próximo dia 10, com audiências dos grupos parlamentares com quem os autarcas ainda não reuniram, e com a presença da ministra da Coesão Territorial, Ana Maria Abrunhosa.

Este ciclo de reuniões, promovido pela AMRS, começou com audiências com os grupos parlamentares do PS, PCP, BE e PAN, na semana passada, na Assembleia da República.
Através destas iniciativas a AMRS pretende debater possíveis soluções para “minorar os impactos negativos que os actuais critérios de distribuição dos fundos comunitários têm sobre o investimento na península de Setubal”, segundo refere a associação em comunicado.

Na visita de segunda-feira de Teresa Almeida a Setúbal, a AMRS aproveitou para apresentar o trabalho já desenvolvido na valorização de património, como o Convento de Alferrara, do século XVI, situado em pleno Parque Natural da Arrábida, na Quinta de S. Paulo, e o Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal.

Segundo a associação de municípios, o momento serviu para “sensibilizar” a CCDR-LVT para “as necessidades de investimento nestes importantes equipamentos da região”.

Comentários

- Pub -