Barreirense escreve a Guterres para que Nações Unidas criem carta da higienização

37
visualizações

“Da mesma forma que temos uma Carta dos Direitos Humanos devia haver uma com os deveres da higienização”, defende Cláudio Anaia

O nosso colaborador Cláudio Anaia, militante da Justiça e Direitos Humanos escreveu uma carta a António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas (ONU), a alertar para a necessidade de ser criada uma carta de direito internacional sobre os cuidados básicos de higiene.

- Pub -

“Nas minhas missões desenvolvidas na América do Sul (favelas do Brasil), em África (Cabo Verde) assim como na Europa, entre várias actividades de apoio a crianças e famílias, sentia sempre que poderia haver um documento orientador de âmbito mundial da parte da ONU sobre os cuidados básicos da Higiene.”, disse a O SETUBALENSE.

“Em estudos e conversas que tive com pessoas na área médica e científica, chegamos sempre à conclusão de que as pandemias que vivemos no século XX, uma das medidas básicas para a sua prevenção é a simples “lavagem das mãos com água e sabão”, explica.

Por isso decidiu escrever a António Guterres “com o objectivo de o sensibilizar, sobre a possibilidade de, assim como temos uma Carta dos Direitos Humanos, ser criada também, com o alto patrocínio das Nações Unidas, a ‘Carta dos deveres da Higienização’. Um documento básico e directo que contaria com o apoio na elaboração de todos aqueles que se quisessem associar a esta iniciativa”.

Segundo o barreirense, a missiva já foi entregue ao secretário-geral da ONU, por António Vitorino (líder da Organização Internacional das Migrações).

Comentários

- Pub -