Montijo apoia comunidade educativa com recursos financeiros e humanos

10
visualizações

São várias as medidas que a autarquia tem em curso para aliviar as famílias, realçou a vereadora

 

- Pub -

Maria Clara Silva, vereadora da Educação na Câmara Municipal do Montijo, fez um balanço sobre os apoios que a autarquia tem vindo a efectuar em prol do sector educativo do concelho, para fazer face aos constrangimentos provocados pelo actual cenário de pandemia. A análise da autarca socialista foi apresentada na última reunião do executivo, realizada por videoconferência na quarta feira passada, realçando “o conjunto de recursos financeiros e humanos disponibilizados diariamente” pelo município à comunidade educativa.

A edilidade, vincou Maria Clara Silva, continua “a trabalhar com as direcções dos agrupamentos [das escolas], no sentido de disponibilizar o Laboratório de Aprendizagem do Montijo” – espaço municipal equipado com meios humanos e técnicos –, para “fazer face ao ensino à distância e responder às necessidades da comunidade educativa”.

 

De forma a “colmatar as necessidades” que as associações de pais e encarregados de educação possam sentir, a Câmara tem mantido contacto permanente com as referidas associações, “apoiando toda a comunidade educativa, numa tentativa de minimização de impactes numa fase difícil para todos”, lembrou Maria Clara Silva.

A vereadora destacou também que, apesar das escolas estarem encerradas, “o refeitório da Escola Básica do Areias, confecciona e embala refeições (almoço, merenda e jantar), que são entregues em casa daqueles que mais necessitam”.

“Muitas das funcionárias  das escolas estão a trabalhar na higienização dos edifícios e serviços municipais que estão a funcionar”, acrescentou.

Medidas extraordinárias

A autarquia montijense deixou também de cobrar “comparticipações referentes aos Serviços de Apoio à Família (fornecimento de refeições e actividades de animação e apoio à família), parcialmente prestados no mês de Março, nos estabelecimentos de ensino de pré-escolar e do 1º ciclo do ensino básico da rede pública do concelho”, no sentido de alivar os constrangimentos financeiros sentidos pelas famílias”. Por outro lado, “estão, igualmente, a ser asseguradas refeições aos alunos dos escalões A e B da Acção Social Escolar, sempre que as mesmas sejam solicitadas pelo encarregado de educação”.

A estas juntam-se “medidas extraordinárias e de carácter urgente de resposta à situação epidemiológica”, como a abertura das escolas EB Caneira, EB Areias e EB 2,3 de Pegões “para o acolhimento dos filhos ou outros dependentes a cargo dos profissionais de saúde, das forças e serviços de segurança e de socorro, das forças armadas, dos trabalhadores dos serviços públicos essenciais, de gestão e manutenção de infra-estruturas e de outros serviços essenciais”.

A finalizar, Maria Clara Silva recordou que “a escola pública tem de encontrar respostas” para todos. “Não podemos deixar ninguém para trás”, reforçou a concluir.

Durante a sessão de quarta-feira, o executivo liderado por Nuno Canta aprovou, por unanimidade, a atribuição de um apoio financeiro no valor de dois mil euros à Associação de Pais da EB Joaquim de Almeida “para fazer face às despesas de pessoal na Componente de Apoio à Família” do referido estabelecimento de ensino nos meses de Março a Julho. Foi ainda aprovado, com igual sentido de voto, um outro apoio financeiro no mesmo valor à Associação para as Artes, Desporto e Cultura referente a período idêntico “para as despesas de funcionamento” igualmente com a Componente de Apoio à Família” dos alunos do 1º e 2º ciclos do ensino básico do Agrupamento de Escolas Poeta Joaquim Serra.

Comentários

- Pub -