TST reforça horários na próxima segunda-feira

65
visualizações

Há quem se queixe pelo corte de horários dos TST, mas a empresa alega que a frequência de passageiros ainda é reduzida

 

- Pub -

A Transportes Sul do Tejo (TST) vai reforçar o serviço “a partir de 11 de Maio”, indica fonte da empresa Arriva/TST, que refere a necessidade de ajustar a oferta à procura do serviço em toda a Margem Sul. “O serviço vai ser reformulado e reforçado de acordo com a prevista retoma de passageiros”. Uma das respostas vai incluir o transporte de alunos para o Instituto Politécnico de Setúbal.

Entretanto, têm surgido alguns protestos de utentes por a empresa ter reduzido a frequência de horários. É a situação concreta de passageiros da localidade do Faralhão, Freguesia do Sado, em Setúbal.

Neste caso, está em causa a carreira 601, que faz a ligação entre o Mercado do Livramento, na cidade, e a localidade da Morgada; uma carreira considerada estrutural para as deslocações da população nesta rota.

Uma redução de oferta que a Arriva/TST confirma e justifica com a “baixa afluência” de utentes que estão a usar este serviço neste período pandémico. Contudo, fonte da empresa garante que, “em reuniões com a Câmara de Setúbal, não foram registadas queixas”, aliás “apenas nos foram reportadas três situações de insatisfação, o que não é muito indiciador”.

De facto, ainda em fase de estado de emergência, a empresa de transportes públicos ajustou horários a 9 de Abril. Com a passagem para o actual estado de calamidade e de desconfinamento, a 4 de Maio, foram repostas algumas carreiras.

“Como ainda há muitas pessoas em teletrabalho e em turnos, não foram repostas já todos os horários”, diz a mesma fonte da Arriva/TST. Ou seja, a empresa reafirma estar a “ajustar a oferta à procura”. Um ajustamento que levou também a alterar alguns percursos.

A redução de utentes levou ainda a alterações na rota 756, com trajecto entre a Mitrena (via Estefanilha) e Setúbal. Lembra a mesma fonte que o Instituto Politécnico de Setúbal, servido por este itinerário, passou a ter aulas à distância e, sem alunos para transportar, a frequência foi reduzida. No entanto, com o previsto regresso às aulas, a empresa garante que vai “adequar a resposta do serviço” aos utentes.

Ligação entre Moita e Gare do Oriente está de volta

Desde a última segunda-feira, a empresa Transportes Sul do Tejo (TST) decidiu retomar oito carreiras da região de Setúbal com destino à Gare do Oriente, em Lisboa, através da ponte Vasco da Gama, sendo que dois destes autocarros prestam serviço à população do concelho da Moita. Neste grupo encontra-se a carreira 333, com partida da freguesia do Vale da Amoreira e o autocarro 326, que estabelece a ligação com Palmela e Moita.
Apesar da população respeitar a exigência da utilização de máscaras de protecção no interior das viaturas, a necessidade de utilização dos transportes nas deslocações entre casa e trabalho, ou vice-versa, acabam em alguns casos, por impedir que os utentes mantenham a distância social recomendada pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), na sequência das medidas impostas para combater o novo coronavírus.

Para a gradual reposição da oferta de transportes públicos na Área Metropolitana de Lisboa, que “será continuamente ajustada durante os próximos dias”, devido à pandemia Covid-19, a autarquia moitense recorda que o diploma governamental estabelece que os transportes têm a sua capacidade limitada a dois terços da sua capacidade.

O município lembra que a entrada nos transportes rodoviários “faz-se pela porta da frente e a validação de título volta a ser obrigatória”. Dado que não será possível adquirir título de transporte nos autocarros, os utentes deverão efectuar a sua aquisição, antecipadamente, nas bilheteiras, agentes ou na rede de caixas multibanco. Também o uso de “máscaras (ou viseiras) é obrigatório no seu interior”.

Humberto Lameiras
Luís Geirinhas

Comentários

- Pub -