Saúde e Protecção Civil confirmam que não há cadeias de transmissão activas no Barreiro, Moita e Montijo

9
visualizações

Crescimento diário mantém-se mas com evolução do vírus controlada

 

- Pub -

 

Elísio Oliveira, comandante Operacional Distrital no Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal, da Autoridade Nacional da Protecção Civil, declarou a O SETUBALENSE que não existem cadeias de transmissão activa do SARS-Cov-2 no Barreiro, Moita e Montijo, “apesar dos casos crescentes que se têm registados nesses concelhos”.

A mesma informação foi confirmada pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, depois de o jornal ter questionado se haveria alguma cadeia de transmissão na zona de ligação entre os concelhos de Moita e Montijo.

Também a enfermeira directora do Cento Hospitalar de Setúbal, Carla Mendes, confirmou hoje a O SETUBALENSE que o Hospital de São Bernardo nunca teve mais de três doentes, em simultâneo, a receber tratamento na Unidade de Cuidados Intensivos e que no concelho de Setúbal, “o vírus continua a ter pouca expressão, estando a sua evolução, aparentemente, controlada”.

O distrito de Setúbal registou ontem 973 pessoas infectadas por Covid-19, mais 27 comparativamente às informações divulgadas pela Direcção-Geral da Saúde no relatório de situação diária de segunda-feira.

Os dados apresentados por concelho indicam que o Seixal registou a maior subida de casos confirmados, com mais 8 pessoas infectadas, estando agora com um total de 199. Por sua vez, o concelho que mais infectados tem é Almada, com 278 (mais 5 do que na véspera). Segue-se o Barreiro que regista 144 pessoas infectadas (mais 3 casos).

Em seguida surge Setúbal, que apresenta 68 pessoas infectadas, e a Moita, que viu o número de casos atingir os 101 (mais 4). Segue-se o Montijo, que regista 91 portadores da nova pandemia (mais 4) e Sesimbra, que mantém os mesmos 23 casos, assim como Palmela continua com os mesmos 20 casos positivos. Por último encontra-se descrito de Alcochete com mais dois casos e um total de 18.

Santiago do Cacém tem mais uma pessoa infectada, refazendo um total de 16 pacientes. E os concelhos com menos pessoas infectadas são Grândola, com 10 casos, e Alcácer do Sal, com 5. O município de Sines voltou a não estar descrito nas informações da DGS.
Na região de Lisboa e Vale do Tejo estão confirmados 7 494 casos de Covid-19, mais 178 do que na véspera. Nesta região acabaram por falecer mais 6 pessoas, refazendo um total de 254 óbitos.

A nível nacional, o número de pessoas recuperadas continua a subir diariamente, existindo actualmente 3 013 casos de sucesso no país (mais 464). Por sua vez, o número de óbitos registados é de 1 163 (mais 19). Segundo o relatório da situação epidemiológica a região de Lisboa e Vale do Tejo é a segunda com mais óbitos, um total de 254. E mantém-se também como a segunda com maior número de infectados, 7 494. No total o país contabiliza 27 913 pessoas com Covid-19.

Por Ana Martins Ventura e Maria Carolina Coelho

Comentários

- Pub -