Coca-Cola cresce e combate alterações climáticas

25
visualizações

Com uma taxa de exportação de 10,1% da produção, que permitiu em 2018 atingir os 19,69 milhões de euros (+37,36% em relação ao ano anterior) de entre um volume de negócios na ordem dos 196,6 milhões (cresceu 9,86%), a Coca-Cola European Partners ocupa o 22.° posto no ranking das maiores exportadoras do distrito.

- Pub -

A produtora de refrigerantes assinou, na última terça-feira, a declaração “Unindo as Empresas e Governos Para Uma Melhor Recuperação Pós-Covid 19”.

“Este documento é um apelo à acção dos líderes mundiais para que nos esforços de recuperação pós Covid-19 dêem prioridade a medidas de combate às alterações climáticas baseadas no conhecimento científico”, anunciou a empresa. “Os signatários (mais de 150 empresas) apelam a uma abordagem colaborativa da elaboração de políticas de recuperação económica”, a pensar num trabalho “em factos científicos que coloquem o mundo numa trajectória de 1,5ºC, em conformidade com o Acordo de Paris”, explica.

“As alterações climáticas são o desafio ambiental mais urgente do mundo… seria bom ver os líderes empresariais e políticos a aliarem-se para alcançar soluções transformadoras, duradoras e baseadas na ciência e que contribuam para uma recuperação sustentável do impacto do COVID-19”, disse Damian Gammell, CEO da Coca-Cola European Partners.

Comentários

- Pub -