EDP dá palco à música tradicional portuguesa com o Let’s Go Local

32
visualizações

Empresa apoia a cultura nacional com desafios. Basta enviar ideias com “essência”

 

- Pub -

Com o objectivo de apoiar a música, os artistas e as tradicionais festas portugueses, a EDP lançou, durante este período excepcional para a sociedade e cultura do país, o Let’s Go Local, desafio incluído no Portugal #EntraEmCena, que quer “dar palco a músicos portugueses”.

“Do cante alentejano à música popular, passando pelo folclore, a EDP desafia os artistas portugueses, a apresentarem um conceito criativo para a celebração da música tradicional portuguesa. Os artistas interessados devem também enviar um vídeo com a sua atuação e indicar o local e as necessidades técnicas para a concretização da sua ideia”, lê-se em comunicado da empresa.

As ideias dos artistas têm de ser apresentadas até 12 de Junho no site do Portugal #EntraEmCena e as que tiverem mais impacto e melhor reflectirem a essência da música portuguesa podem ainda ser implementadas em 2020.

“Este é um ano desafiante e todos tivemos que nos adaptar a uma nova realidade. Também a EDP teve de se reinventar no seu apoio à música. Agora, mais do que nunca, é importante estar ao lado dos portugueses, apoiar o que é nosso, a nossa música e a nossa cultura e por isso, a EDP decidiu investir neste território. Com esta iniciativa, queremos desafiar todos os artistas de música tradicional portuguesa a apresentarem a sua ideia para levar a música a vários recantos do nosso País”, afirma Paulo Campos Costa, Diretor de Marca, Marketing e Comunicação da EDP.

O movimento Portugal #EntraEmCena, lançado em Abril, conta com várias entidades além da EDP, que têm uma história de ligação e investimento em cultura, existindo ainda o apoio estatal do Ministério da Cultura.

A plataforma, que tem como objectivo salvaguardar a cultura e os seus intervenientes num momento crítico, permite que os artistas lancem ideias e conseguiam investimento para conceber e desenvolver projectos. Empresas, públicas e privadas, podem escolher propostas artísticas ou lançar novos desafios, escolhendo depois quais financiar.

Comentários

- Pub -