Poemas e hiatos de vida de Elmano Sadino agora revelados em livro

39
visualizações

Mais de 20 anos de pesquisa resultaram em cerca de 100 documentos inéditos e revelações

 

- Pub -

Novos poemas e hiatos de vida até agora desconhecidos sobre o poeta Bocage são agora revelados no livro “Bocage ou o Elogio da Inquietude”, de Daniel Pires, obra editada pela Imprensa Nacional – Casa da Moeda.

“Foram mais de 20 anos de pesquisa”, diz o autor que muito já escreveu sobre o poeta sadino. “É o trabalho de uma vida”, assume.

Da pesquisa no arquivo da Torre do Tombo e por outros artigos, Daniel Pires dá a respirar, em 20 capítulos, uma biografia de Bocage que passa pelo seu nascimento, pela família e vai até à sua morte.

Nas páginas estão agora mais caminhos do poeta, de escrita “erótica mas não pornográfica, pelo Exército, Marinha, a sua adesão à Maçonaria e passagem por terras da Índia, Macau e China; também pelas prisões a que a sua irreverência o levou.
“Teve confrontos com outros poetas na Academia [das Belas Letras ou Nova Arcádia] e problemas com a censura, o que o levou a ser preso”, conta Daniel Pires.

Ao todo, a obra “Bocage ou o Elogio da Inquietude”, reúne mais de uma centena de documentos inéditos sobre um homem de “ideias avançadas” para a sociedade do século XVIII, que “sempre remou contra a maré”, comenta o autor.

Daniel Pires, presidente da direção do Centro de Estudos Bocageanos, concluiu, em 2018, a edição literária da obra de Bocage na mesma editora, e oferece agora aos leitores o fruto de mais de duas décadas de investigação, numa obra que constitui desde já referência para o conhecimento e estudo de Bocage e para o entendimento da vida do tempo em que nasceu em Setúbal e morreu em Lisboa, entre 15 de Setembro de 1765 e 21 de Dezembro de 1805.

Comentários

- Pub -