Santos e Vale tem na região uma das maiores plataformas no país

18
visualizações

Com 17 plataformas de norte a sul do país, a de Setúbal é das mais movimentadas da empresa a nível nacional

 

- Pub -

Desde o inicio de actividade, em 1982, o crescimento tem sido evidente dispondo hoje de uma alargada cobertura geográfica e de um volumoso número de expedições. No distrito de Setúbal, tem, há vários anos, um dos seus pontos mais importantes de acção. Joaquim Vale, administrador da Santos e Vale explica o porquê a O Setubalense.

“A nossa plataforma de Setúbal é uma das plataformas com mais movimento a nível nacional. Sendo Setúbal uma zona geográfica privilegiada relativamente a Lisboa, e tendo um vasto tecido empresarial, o distrito apresenta um grande potencial para a Santos e Vale, em termos de logística e distribuição”.

Nas áreas de negócio de Transporte, Distribuição e Logística, é uma empresa familiar com capitais exclusivamente nacionais e com um modelo operacional concebido especialmente para o mercado Ibérico.

“Com estratégias inovadoras, o plano de acção da empresa tem ido ao encontro das expectativas e objectivos traçados: hoje somos um dos líderes de mercado. A cada ano, estabelecemos metas mais ambiciosas. Investimos continuamente em equipamentos, definimos criteriosos planos de melhoria, actualizamos processos”, é realçado.

Quais as principais características que diferenciam a Santos e Vale da concorrência na hora do cliente decidir?

O pormenor! Todo o cuidado que temos com um cliente desde o momento em que nos contacta, o desenvolvimento da solução logística e de transporte que ele necessita até à operacionalização com uma constante procura de melhoramentos e optimização. Esta dedicação ao pormenor é o que faz da Santos e Vale ser diferente no mercado, e é o que nos tem feito crescer desde a nossa criação. Conseguimos oferecer uma solução total aos nossos clientes, desde a logística à distribuição, para que eles possam estar dedicados ao seu negócio.

A inovação é uma imagem de marca da empresa. Para se perceber melhor pode dar alguns exemplos de uma empresa inovadora num mercado tão competitivo e específico?

Uma organização necessita de se reinventar para poder apresentar sistematicamente novas vantagens competitivas no mercado. É necessário sair da zona de conforto para poder consolidar novas experiências. Esta sempre foi, e sempre será, a forma de pensar da empresa e uma cultura já enraizada nas pessoas que fazem parte desta grande “família”.

A empresa já uma posição consolidada no mercado. Pode pensar-se…ainda com margem de crescimento?

Em qualquer mercado, existe sempre possibilidade de crescer e melhorar, pelo que vamos continuar a nossa “viagem”, com um grande foco nos objectivos traçados e bem presentes na estratégia da empresa.

No global da actividade da empresa, quais são os principais objectivos que ainda assim se propõe alcançar neste ano de 2020 depois do inesperado contratempo causado pela pandemia Covid-19?

Estamos a seguir a estratégia de crescimento definida para este ano. A Santos e Vale vai continuar a aumentar a estrutura da empresa em recursos humanos qualificados, permitir que os actuais progridam enquanto profissionais, e continuar a aumentar e renovar a sua frota. Vamos continuar a abrir e melhorar as nossas plataformas e a utilizar todas as tecnologias que estejam ao nosso alcance para optimizar as operações e prestar um serviço cada vez melhor. Vamos também prosseguir a nossa política ambiental de utilizar menos, gastar menos e assim poluir menos.

Covid-19. “Adoptámos uma maior flexibilidade para fazer face à situação”

A Santos e Vale não podia, inevitavelmente, passar ao lado da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus. Joaquim Vale revela que depois de uma resposta inicial a estratégia tem sido a de “tentar adaptar a nossa estrutura aos picos do mercado que, com a pandemia, se acentuaram um pouco mais. Adoptamos uma maior flexibilidade e capacidade necessárias para fazer face a esta situação que está a acontecer fora de época normal mas, que já existe pelo menos duas vezes por ano, em novembro/dezembro e em junho/Julho”.

O administrador da Santos e Vale, frisa que “a nossa rede de distribuição tem a capacidade de se adaptar a estes picos de atividade com relativa facilidade, daí estarmos a garantir a normalidade dos nossos serviços com total segurança para os nossos clientes”.

Em termos concretos, no terreno, na acção diária, as principais medidas tomadas “foram ao nível da segurança e saúde dos nossos colaboradores”, destaca Joaquim Vale. São eles, acrescenta, “que, para além de serem a cara da Santos e Vale todos os dias, estão neste momento sujeitos aos maiores riscos de saúde pública, pelo que, tomamos várias medidas, incluídas no plano de contingência geral da empresa, para que possam desenvolver as suas funções com a maior segurança possível e prestar o melhor serviço ao cliente”.

Luís Pestana

Comentários

- Pub -