Navigator aposta no debate público sobre o futuro das florestas com nova plataforma

15
visualizações

Instituto de Investigação da Floresta e Papel e jornal Público são parceiros do projecto que defende mais conhecimento sobre as florestas

 

- Pub -

A The Navigator Company lançou a plataforma Florestas.pt em parceria com a Raiz – Instituto de Investigação da Floresta e Papel; e o apoio do jornal Público. O objectivo central do projecto é abordar estratégias e fomentar o debate público em torno de protecção e sustentabilidade da floresta nacional, agregando informação numa plataforma online de consulta livre.

Sob o mote “conhecer, valorizar e cuidar da floresta portuguesa”, António Redondo, presidente da comissão executiva de The Navigator Company, apresentou um projecto que assume “a floresta na base de verdadeiros clusters nacionais de indústria, responsáveis por gerar emprego e desenvolvimento para as populações”, motivo pelo qual se impunha a criação de algo que unisse a sociedade civil, especialistas na defesa ambiental, media e empresas.

Durante a apresentação do projecto, numa conferência virtual organizada pela Navigator, Manuel Carvalho, director do Público também destacou que os jornais e os jornalistas “reflectem e criam o debate da sociedade quando a notícia influencia o rumo da sociedade”. E nesse caso o contributo do jornal Público será através de um microsite, onde podem ser consultadas e debatidas as grandes questões em torno da floresta e que esta “traz à nossa economia enquanto recurso renovável”, numa abordagem à ligação entre a sustentabilidade e ciência.

Questionada sobre o que a Navigator está a fazer para prevenir os incêndios florestais em Portugal e se o novo projecto também vai integrar estratégias nesse sentido, a Navigator refere que essas acções “já estão no terreno há muitos anos, com o planeamento das plantações da empresa em conjunto com parceiros como a Altri”.
Quanto aos impactos da actividade fabril a Navigator tem vindo a adaptar-se com recurso às melhores tecnologias disponíveis, com vista às metas da descarbonização, “antecipando já em 12 anos os limites impostos pela União Europeia”.

As florestas em números

Durante a apresentação da plataforma Florestas.pt a Navigator recordou ainda alguns números representativos do que que a floresta representa para o país, ocupando 36% do solo continental, em Portugal, numa extensão superior a três milhões de hectares, segundo o 6.º Inventário Florestal Nacional, apresentado em 2019. O que significa um aumento de 59 mil hectares (1,9%) face a 2010 (data da avaliação anterior).

Uma recuperação ambiental na qual a Navigator assumiu o seu papel preponderante, produzindo 65% das plantas vendidas para o mercado e 35% das plantas para consumo interno na indústria transformadora.

Comentários

- Pub -