Retrato estatístico de Alcochete, Almada e Alcácer em feriado municipal

57
visualizações
DR

PORDATA caracteriza municípios.Dados sobre população residente, taxas de natalidade e mortalidade, salário médio, entre vários outros indicadores, comparam evolução de oito anos

 

- Pub -

A celebrar 10 anos de existência, a PORDATA – projecto da Fundação Francisco Manuel dos Santos – resolveu caracterizar, com um conjunto de 54 dados estatísticos, a evolução de cada um dos 308 municípios portugueses, entre 2010 e 2018. A iniciativa visa assinalar os respectivos feriados municipais, que hoje, no caso do Distrito de Setúbal, se cumprem em três territórios: Alcochete, Almada e Alcácer do Sal.

O trabalho, efectuado com base em mais de 20 fontes oficiais, apresenta vários indicadores de diferentes temas.
Segundo os dados da PORDATA, Alcochete aumentou em 2018 a população residente para 19.646 habitantes (tinha 17.329 em 2010), apresentando cinco estrangeiros por cada cem residentes (cresceu de 808 para 918). Ainda por cada cem residentes, 17 são jovens com menos de 15 anos (+2,5% do que em 2010), 67 são adultos (+0,8%) e 17 são idosos com 65 ou mais anos (+1,6%). Em 2018 “nasceram 156 bebés e morreram 159 pessoas”. “Há cem idosos por cada cem jovens, menos 57 idosos do que a média nacional”, revela o estudo.

O número de inscritos nos centros de emprego baixou de 666 (2010) para 524 (2018), mais de 3,2% da população residente entre os 15 a 64 anos. O salário médio dos trabalhadores por conta de outrem no município ascendia, em 2018, a 2.153 euros (em 2010 era 1.453 euros), o que representa “986 euros acima do ganho médio a nível nacional”.

Almada
Em Almada registou-se um decréscimo populacional: o concelho passou de 173.634 habitantes (2010) para 169.070 (2018), sendo que “por cada cem residentes seis são estrangeiros” (a população estrangeira era de 11.578 em 2010, diminuindo para 10.145 em 2018). Por cada centena de residentes “há 15 jovens com menos de 15 anos [-0,5% do que em 2010], 62 adultos [-3%] e 23 idosos com 65 ou mais anos [+3,4%]”.

Em 2018, “nasceram 1.625 bebés”, “morreram 2.095 pessoas” e “ por cada cem jovens há 154 idosos, menos dois idosos do que a média nacional”.
Os dados apontam que em 2018 existiam “6.150 desempregados inscritos nos centros de emprego (mais de 5% da população residente entre os 15 e os 64 anos)”. Em 2010, os inscritos eram 8.082, o equivalente a cerca de 35% mais do que em 2018.

Em média, os trabalhadores por conta de outrem no município almadense ganhavam em 2018 “1.118 euros”, valor que é “49 euros abaixo do ganho médio a nível nacional”. Em 2010, o salário médio dos trabalhadores por conta de outrem era 1.035 euros.

Alcácer do Sal
Alcácer do Sal contava 11.783 habitantes em 2018, que compara com os 13.119 de 2010. Por cada cem residentes “quatro são estrangeiros [passou de 294 para 422]” e regista-se ainda “11 jovens com menos de 15 anos [-0,9%], 59 adultos [-3%] e 29 idosos com 65 ou mais anos [+4,1%]”.

Em 2018 “nasceram 69 bebés e morreram 160 pessoas”. De acordo com os dados, existiam “255 idosos por cada cem jovens”, cerca de “mais 109 idosos do que a média nacional”.

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego em 2018 era 235, o equivalente a mais de “2,8% da população residente entre os 15 a 64 anos”. Houve uma diminuição de inscritos na ordem dos 57% em relação a 2010, ano em que o número ascendia a 448.

O salário médio dos trabalhadores por conta de outrem no município ascendia, em 2018, a 943 euros (era 876 euros em 2010), ou seja, “223 euros abaixo do ganho médio a nível nacional”.

As fontes oficiais utilizadas foram: INE, ANSR, APA, BP, CGA, DGAL, DGEEC, DGEG, DGO, DGPJ, DGS, ERSAR, GEE, GEP, ICA, IGP, IISS, ISS, SEF, SGMAI, e SIBS. Os dados podem ser consultados em https://www.pordata.pt.

Comentários

- Pub -