Politécnico de Setúbal desenvolve soluções para doentes de Alzheimer

41
visualizações

Uma equipa multidisciplinar do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) está a desenvolver soluções para suporte ao processo de co-criação de aplicações de software para apoio aos cuidadores informais de pessoas com doença de Alzheimer, no âmbito do projecto europeu Co-Care, que decorrerá até Dezembro de 2022.

- Pub -

O projecto, financiado pela Comissão Europeia no âmbito do programa Erasmus+, através da Acção-chave 2: Cooperação para a Inovação e Intercâmbio de Boas Práticas – Alianças de Conhecimento, integra, além do IPS, outras instituições de ensino superior, associações de utilizadores e profissionais dos sectores social, da saúde e das tecnologias de Portugal, Espanha, Reino Unido e Bélgica.

Sob o lema “Partilhar para evoluir, conectar-se para lembrar”, o projecto europeu, que arrancou no passado mês de Janeiro, assenta num “paradigma centrado no utilizador (user-centered design), seguindo uma óptica de co-criação com o envolvimento dos utilizadores e, procurando, em última instância, colocar as tecnologias de informação ao serviço da população europeia, que está globalmente a envelhecer e que carece de soluções que atendam especificamente às suas necessidades”, explica comunicado da instituição de ensino de Setúbal.

O projecto integra os investigadores da Escola Superior de Saúde (ESS/IPS), Célia Soares (coordenadora) e Gabriela Colaço, e da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal (ESTSetúbal/IPS), Patrícia Macedo e Rui Madeira.

Comentários

- Pub -