Palmela e Sesimbra são os concelhos da península que mais beneficiam com os novos amarelos da Carris

146
visualizações

A península de Setúbal vai ser reforçada em transportes rodoviários, mas só terá efeitos no final do próximo ano

 

- Pub -

Palmela e Sesimbra são os dois concelhos da península de Setúbal, entre os nove, que mais vão beneficiar com o reforço de transportes rodoviários considerado no concurso público internacional lançado pela Área Metropolitana de Lisboa (AML), para novas operações nos 18 municípios que aglomera.

Este concurso, que vai trazer um novo operador para a margem sul, vai também permitir ao Montijo receber novas linhas, principalmente nas ligações directas entre concelhos neste território. Mas no global, os nove da península vão sentir um reforço de, pelo menos 40% das linhas rodoviárias. Aliás, apesar de estar em cima da mesa também o reforço de transportes no concelho do Barreiro, este ficou fora do concurso por ter no seu circuito os Transportes Colectivos do Barreiro, controlado pelo município. O mesmo acontece do lado Norte, em Cascais e Lisboa que têm prestação por empresas próprias.
Com o concurso da AML devido em 4 lotes, os concelhos da margem sul estão considerados no lote 3 e 4, sendo que no lote 3 estão Almada, Seixal e Sesimbra, enquanto no lote 4 ficaram Alcochete, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal.

Embora os resultados oficiais deste concurso não sejam públicos, O SETUBALENSE sabe, através de fonte da AML, que o júri já apreciou as sete candidaturas apresentadas aos 4 lotes. Os concorrentes vencedores, TST, Rodoviária de Lisboa, Scotturb e Netxt, já receberam os relatórios preliminares, e tinham 10 dias para obter esclarecimentos ou contestar a decisão do júri, sendo que, com o prazo a decorrer, este termina esta semana.

No entanto, já se sabe, através da imprensa, que para operar na margem sul a empresa melhor classificada no lote 3 é a Transportes Sul do Tejo, controlada pela britânica Arriva, e no lote quatro é a Nex Continental Holdings, detida pela National Express.

Assim sendo, o concelho de Sesimbra vai continuar com a TST, tal como os restantes do lote 3, mas a empresa teve de responder ao compromisso de cobrir linhas exigidas pelo município. “A cobertura de transportes rodoviários em Sesimbra vai aumentar em cerca de 60%, quer em área quer em frequência de carreiras”, afirma o vereador Sérgio Marcelino, responsável pela pasta dos Transportes.

Com isto, o território sesimbrense vai passar a ter “três novas carreiras”. É o caso da ligação urbana dentro da vila da Quinta do Conde, com 30 mil habitantes que, neste momento, “basicamente apenas só tem o serviço da Sulfertagus”. A nova carreira vai ligar os serviços principais dentro da localidade.

Outra ligação que vai ser ganha é a directa entre Sesimbra e a Estação Ferroviária da Fertagus de Coina. E uma terceira linha, apontada pelo vereador, é a ligação Alfarim ao Casal do Marco. Isto contado ainda com o “prolongamento da rede existente”, adianta.
Acrescenta o vereador que esta nova dinâmica rodoviária no concelho “tem uma margem de 10% de adaptação, sem custos para o município”.

O lote 3 é uma zona que vale cerca de 273 milhões de euros, para a qual a britânica Arriva propôs um preço de 254 milhões, ou seja, menos 7%. A TST, deverá responder por 116 linhas, sendo 43 delas novas. Para esta escala, a empresa já terá avançado que irá adquirir 300 autocarros novos.

Palmela é o concelho que mais benefícios vai sentir com este concurso da AML. O serviço deverá ser prestado pela operadora NEXT, que vai ter de cobrir este que é o maior território da AML, com muitos aglomerados em vilas, aldeias e centros históricos, vários deles dispersos.

“Esperamos deste concurso um aumento de 148% da oferta de transporte no concelho”, adianta o presidente da Câmara de Palmela, Álvaro Amaro. Portanto, o maior percentual dentro da AML, mas vinca o autarca que esta percentagem tem de ser vista à luz de um concelho que, “quase não tem cobertura de transportes rodoviários”.

A partir do final de 2021, quando está previsto o início das novas operações rodoviárias na AML, pela Carris Metropolitana, que vai ‘vestir’ de amarelo, o município de Palmela vai ser servido por 38 linhas, classificadas nas categorias de municipal, intermunicipal e inter-regional, isto “mantendo os percursos já existentes”, afirma o autarca.

No essencial, as novas ligações rodoviárias vão colmatar deficiências como a ligação da Quinta do Anjo à Estação da Fertagus de Penalva, assim como de outras localidades à cintura industrial no concelho, ligações entre bairros e também a Palmela e, entre outras, a ligação de Palmela à Estação Ferroviária de Palmela. Vão passar também a existi ligações à Estação de Venda do Alcaide.

“Existem várias zonas no concelho em que as pessoas só têm por opção deslocar-se de transporte próprio ou de táxi”, diz Álvaro Amaro.

O Montijo, que passará também a ser servido pela Next, vai beneficiar com ligações directas a outros concelhos que “neste momento não existem”, diz o vereador Ricardo Bernardes, com o pelouro dos Transportes Públicos. Um dos casos que aponta é a inexistência de ligação directa entre o Montijo e Almada, onde funciona a Faculdade de Ciências e Tecnologia.

As zonas rurais do concelho vão passar também a ter uma melhor cobertura rodoviária, ou mesmo “cobertura porque alguma população não têm carreiras, ou são servidas apenas de uma”, diz o vereador que, apesar de tudo, lamenta que “nem todas as carreiras propostas pela Câmara tenham sido consideradas”, o que aponta à “limitação de verba do concurso”, embora “estejamos a falar de uma verba muito considerável”.
Entretanto, o concelho de Alcochete já avançou que vai ter ao seu dispor mais duas linhas de circulação rodoviária, que visam assegurar o transporte da comunidade escolar e melhorar o acesso às zonas industriais.

O lote 4 vale cerca de 197 milhões de euros, corresponde a 14% da procura e inclui 111 linhas, sendo 21 novas O contrato proposto pela Nex é de 180,7 milhões de euros, menos 8,3%, e implica o maior desconto do concurso.

Comentários

- Pub -