26 Fevereiro 2021, Sexta-feira
- PUB -
Início Local Seixal Seixal lamenta não do Barreiro à ponte pedonal entre os dois concelhos

Seixal lamenta não do Barreiro à ponte pedonal entre os dois concelhos

O presidente da Câmara do Barreiro fez contas e decidiu trocar a verba prevista para a construção de uma ponte pedonal até ao Seixal por uma rede ciclável dentro do concelho. O edil do Seixal não gostou nada da decisão

- PUB -

A Câmara do Barreiro decidiu não avançar com a construção da ponte pedonal até ao Seixal, e canalizar a verba que tinha à sua responsabilidade para esta travessia para criar uma rede ciclável no concelho.

Com esta resolução, o presidente socialista Frederico Rosa, da Câmara do Barreiro, quebrou o acordo assinado em Março de 2017 entre os presidentes comunistas das câmaras do Barreiro e Seixal, e captou o descontentamento do presidente seixalense, Joaquim Santos, que ontem lamentou que o município do Barreiro tenha inviabilizado a construção da ponte pedonal, para construir uma rede ciclável.

“É de lamentar que esta tenha sido a decisão do Barreiro, que vai assim inviabilizar que as duas populações possam voltar a estar próximas. Trata-se de um projecto que contava com o financiamento de dois milhões de euros de fundos comunitários, pelo que é realmente uma pena que se venha a perder esta oportunidade”, disse, em comunicado, o presidente da Câmara do Seixal, Joaquim Santos.

- PUB -

Segundo o autarca, o Seixal “sempre esteve disponível” para avançar com o projecto, mesmo que o valor do investimento seja “superior ao inicialmente previsto”.

De acordo com a nota de imprensa, a ponte pedonal e ciclável tem um investimento total na ordem dos seis milhões de euros, devido à imposição da administração do Porto de Lisboa, que exigiu que a parte móvel da infraestrutura tenha mais 20 metros – levando a um aumento de cerca de mais um milhão de euros a cada autarquia.

Devido a esta situação, a Câmara do Barreiro anunciou, na terça-feira, que iria adiar o projecto de construção da ponte pedonal e aproveitar os fundos para a criação de uma rede ciclável que ajude a melhorar a mobilidade do concelho.

- PUB -

“Gostava muito e quero muito ver esta ligação entre Barreiro e Seixal, mas o querer fazer não pode implicar o querer fazer a qualquer preço. A opção que tomámos é a que tem a ver com o dinheiro investido, não pondo em causa outros investimentos que se possam fazer também e que o concelho precisa”, defendeu o presidente do município do Barreiro, Frederico Rosa.

Em Março de 2017 as duas autarquias assinaram um protocolo para a concretização de uma ponte que ligaria os concelhos, no entanto, em Junho do mesmo ano, a administração do Porto de Lisboa inviabilizou o projecto.

O Plano de Acção e Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS) tinha atribuído um orçamento de cerca de 2,1 milhões de euros para a concretização deste projecto e, para Frederico Rosa, é importante “não deixar cair os fundos, recolocá-los e resolver o problema das pessoas de forma estrutural”.

A Câmara do Seixal discordou desta medida e afirmou estar “totalmente disponível para resolver e ultrapassar qualquer constrangimento”.

“Esta infraestrutura facilitaria a mobilidade dos munícipes, tendo em conta que os dois concelhos estão a cerca de 800 metros de distância em linha recta. Contudo, sem esta ponte, essa distância aumenta para 13 quilómetros”, explicou.

O Barreiro aprovou em reunião de câmara, na segunda-feira, a utilização dos fundos do PAMUS para a construção de uma rede ciclável, com cinco votos a favor do PS e PSD e quatro votos contra da CDU.

O presidente do município do Barreiro referiu, no entanto, que não desistiu do projecto da ponte. “O não avançarmos agora não pode significar o deixarmos de perseguir a sua feitura”, apontou.

Lusa

- PUB -

Mais populares

Morto a tiro em festa na encosta da Bela Vista

Um homem com cerca de 30 anos morreu este domingo baleado com dois tiros numa festa ilegal que decorria na encosta da Bela Vista,...

Várzea veio colmatar necessidade de antecipar o fecho da estação na 5 de Outubro

TST explica que antiga estação apresentava alguns problemas, inclusive ao nível da logística nos serviços   A empresa Transportes Sul do Tejo (TST) inaugurou há cerca...

Dores Meira acusa PS de falsear realidade sobre estacionamento pago na cidade

Dores Meira não poupa criticas às razões que o PS tem alegado. E aponta-lhe os casos de Lisboa e Almada   O estacionamento pago na cidade...
- PUB -