Árvore cai sobre cabine de camião e mata motorista de 52 anos em Canha

196
visualizações

Condutor seguia no sentido Pegões-Infantado. Mau tempo com consequências trágicas na região, onde se registou uma vítima mortal. Pesado de mercadorias ainda andou cerca de 400 metros após ter sido atingido por pinheiro de grande porte. Óbito foi declarado no local

 

- Pub -

 

O mau tempo, causado pela depressão Elsa que varreu o País, provocou hoje uma vítima mortal na zona de Canha, concelho do Montijo, bem como vários danos materiais em diversos pontos do distrito sadino. Um motorista, de 52 anos, que conduzia um camião de transporte de mercadorias, foi vítima da queda de uma árvore que atingiu a cabine do veículo pesado pouco antes das 16h00.

“Fomos alertados pelas 15h59. O mau tempo provocou a queda de uma árvore de grande porte, que se encontrava no lado oposto ao que circulava o camião. O pesado seguia no sentido Pegões-Infantado, ao quilómetro 83,3, logo a seguir às Taipadas, quando foi atingindo. A árvore, um pinheiro, caiu sobre a cabine do veículo pesado, que ainda andou cerca de 400 metros para a frente sem sair da sua faixa de rodagem”, disse a O SETUBALENSE Urbano Emídio, Comandante dos Bombeiros Voluntários de Canha.

A vítima acabaria por morrer no local. “O homem, de 52 anos, estava em paragem cardiorrespiratória quando chegámos ao local. Tentámos várias manobras de reanimação até à chegada da VMER, mas sem sucesso. Quando a Viatura Médica de Emergência e Reanimação chegou, confirmou o óbito”, revelou o comandante da corporação de Canha, que fez deslocar para o local quatro viaturas e nove operacionais.

O acidente obrigou ao corte do trânsito automóvel “nos dois sentidos da via”, adiantou o responsável, acrescentando que “só a partir das 18h20 é que foi retomada a circulação mas apenas numa das faixas de rodagem”. O corpo da vítima foi transportado para a morgue do Hospital do Barreiro.

Até ao final da tarde, a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil já havia registado cerca de três mil ocorrências. Inundações, quedas de árvores, danos em habitações que provocaram desalojamentos, foram algumas das situações registadas.

 

Barcos parados e camiões com lona e motos sem andar na 25 de Abril

O mau tempo obrigou também à suspensão das ligações fluviais entre a Península de Setúbal e Lisboa durante a tarde. A Transtejo/Soflusa justificou o corte das carreiras “face ao agravamento das condições atmosféricas”, por motivos de segurança. Recorde-se que a Transtejo assegura as ligações fluviais entre o Seixal, Montijo, Cacilhas e Trafaria/Porto Brandão a Lisboa, enquanto a Soflusa garante a travessia entre o Barreiro e o Terreiro do Paço (Lisboa).

Na Ponte 25 de Abril, a circulação de veículos pesados de mercadorias com lona e de ciclomotores foi interditada pelas 18h00. Já a circulação ferroviária fez-se de forma alternada. Lusa

Comentários

- Pub -