Navigator reduz produção de papel mas garante rendimento dos trabalhadores

52
visualizações

O fecho do comércio, das escolas e dos escritórios teve um impacto directo no consumo de papel, o que obrigou a empresa a ajustar a produção

- Pub -

 

A The Navigator Company vai “reduzir de imediato a produção de papel UWF em 15%, em virtude da queda significativa de encomendas das últimas semanas”, no entanto, vai “manter o rendimento dos seus colaboradores”, garante a administração da empresa.

Segundo dados da papeleira, a procura de papel de impressão e escrita não revestido (UWF) manteve-se estável no início do ano, tendo a empresa registado desde o final de 2019 um nível “muito elevado de encomendas de papel, tendo mesmo atingido a meados de Março uma carteira de encomendas que representou o segundo valor mais alto da sua história”, refere a administração em comunicado.

No entanto, desde as últimas semanas de Março, depois de ter sido decretado o estado de emergência nos principais países em que opera, a Navigator diz ter verificado uma significativa redução de actividade económica nomeadamente com o fecho de comércio, escolas, universidades e escritórios, com impacto directo na actividade dos nossos clientes e no consumo global de papel.

Face a esta situação, a empresa diz que se viu forçada a “reduzir, pela primeira vez na sua história, a produção de papel de forma a adequá-la à actual procura nos mais dos 120 mercados onde regularmente opera”.

Esta adaptação passou assim pela “suspensão temporária e de forma gradual da produção” em algumas das suas máquinas de papel UWF. Suspensão esta que começou hoje, e por um período estimado de 30 dias. No imediato “será afectada 15% da capacidade de produção de papel de impressão e escrita (UWF)”, sendo que esta paragem “não terá impacto no rendimento dos trabalhadores”.

Com esta medida a Navigator pretende equilibrar a oferta de papel à procura existente, evitando assim a acumulação de stocks na cadeia de abastecimento. Consequentemente, ao longo das próximas semanas, poderá ir ajustando a actual redução de capacidade.

“Apesar da evolução do consumo de UWF ter demonstrado no passado uma grande resiliência face à evolução de consumo de outros tipos de papel de impressão e escrita, estamos neste momento a operar em circunstâncias excepcionais, e estas medidas, também elas excepcionais, afiguram-se necessárias para que o Grupo consiga reagir de forma dinâmica às alterações significativas que ocorrem diariamente no mercado”, refer a empresa em comunicado.

Acrescenta a empresa que a produção integrada de pasta será “ajustada de acordo com as necessidades de produção das máquinas de papel em laboração”, stando assente que esta redução não irá afectar a laboração na fábrica de Aveiro, que continua a operar dentro da normalidade, quer na produção de pasta de celulose para mercado, quer na produção de tissue, estando a fábrica de tissue de Vila Velha de Ródão a operar igualmente como previsto.

Revela a Navigator que irá mitigar a “expectável quebra de rendimentos proveniente da redução do seu volume de negócios com a implementação de diversas medidas de redução de custos e uma revisão significativa do seu plano de investimentos para 2020”.

A sossegar o mercado os trabalhadores, a empresa afirma dispor de uma situação de “liquidez confortável”, em resultado de um “aumento significativo das suas disponibilidades de curto prazo e de uma gestão criteriosa de fundo de maneio, nomeadamente, mas não exclusivamente, controlando os stocks de papel e de matérias-primas e subsidiárias”.

Refere ainda a administração da Navigator que “está a acompanhar em permanência” a evolução desta situação pública de emergência sanitária, tendo implementado, logo no final de Fevereiro, um plano de contingência que tem por base as indicações da Direcção-Geral da Saúde, tendo criado um Gabinete responsável por gerir e acompanhar a evolução da propagação do Covid-19, com reporte directo e reuniões regulares com a Comissão Executiva do Grupo.

Comentários

- Pub -