“Santiago de Calatrava e Saint Germain à conquista da Braamcamp confirmam a viabilidade do projecto”

211
visualizações
Rui Braga, vereador responsável pela Gestão Territorial, planeia futuro próximo do Barreiro com três projectos de 70 M€. Fotografia de Arsénio Franco

No futuro, a Braamcamp, Estação Sul e Sueste e a recuperação do ‘Barreiro Antigo’ representam um investimento de 70 milhões euros na face do Barreiro

 

- Pub -

Da contestação da oposição, durante o último ano, até às propostas do arquitecto Santiago de Calatrava e da empreendedora Saint Germain para a requalificação da Quinta do Braamcamp, passando pelo LX Factory na Estação Sul e Sueste, o Barreiro está prestes “a assumir um papel activo na recuperação económica da região, que ocorrerá após a pandemia”, garante Rui Braga, vereador da Câmara do Barreiro responsável pelo Departamento de Planeamento, Gestão Territorial e Equipamentos. “No total, o investimento rondará os 70 milhões de euros e irá mudar a face da cidade”.

Rui Braga tem acompanhado de perto o desenvolvimento do projecto de requalificação da Quinta do Braamcamp, sendo um “grande entusiasta”, como assume, do potencial dos 21 hectares da antiga corticeira localizada frente ao Tejo. Mas, para o empreendedor, as propostas de compra apresentadas, ambas entregues a 30 de Março, último dia da hasta pública, e abertas a 17 de Abril, são uma prova de fogo definitiva. “Afinal, ter a Calatrava Grace LLC e a Saint Germain – Empreendimento Imobiliários, S.A. à conquista da Braamcamp confirma a viabilidade do projecto”.

Ambas as propostas estão acima da base de licitação mínima, fixada em 5 milhões de euros, e foram “inesperadas”, com o vereador a confessar que o executivo PS “chegou a temer não haver investidores, devido ao contexto económico que a Covid-19 está a criar”.
O valor da venda da Braamcamp permitirá, no futuro breve, “liquidar o restante do empréstimo de 2,9 milhões de euros” contraído pelo município para a compra desta propriedade, ao fundo imobiliário do Millenium BCP, em 2016. “O restante, totalmente livre de ónus, ficará à disposição para investimento”.

Questionado sobre quais as possibilidades, Rui Braga não descarta que a verba seja canalizada “para o projecto de requalificação do ‘Barreiro Antigo’ já aprovada em sessão de câmara e avaliada em 5 milhões de euros”.

Seja qual o for o destino da verba gerada pela venda da Quinta do Braamcamp, para o vereador o interesse de Calatrava e Saint Germain “vieram confirmar que a recuperação económica depois da pandemia pode ser feita de forma rápida e que o Barreiro terá um papel activo no desenvolvimento da economia da região”, com o investimento internacional de cerca de 60 milhões de euros para a concretização de todo o projecto. Ainda assim, primeiro, o projecto deverá “respeitar o caderno de encargos imposto pelo município”.

Neste caderno de encargos consta a recuperação da antiga casa senhorial para uma unidade hoteleira, uma área de lazer e prática desportiva de usufruto público com um campo polidesportivo incluído, um cais para actividades náuticas e a construção de 180 fogos, apenas em 5% da quinta, com uma arquitectura sustentável, tendo em conta a possibilidade da subida do nível da água em zona de cheia. “E vão ser essas premissas que jurí vai avaliar no decorrer das próximas semanas”.

A este investimento, que o vereador já considera no futuro breve do Barreiro, une-se ainda a requalificação da Estação Sul e Sueste. Ali deverá nascer um projecto inspirado no LX Factory, instalado em Alcântara, ao que O SETUBALENSE tomou conhecimento há várias meses atrás. “E a concretização estará apenas pendente de um protocolo a firmar entre o investidor e a Infraestruturas de Portugal, que detém o espaço”, afirma Rui Braga. Um investimento que será superior a 3 milhões de euros.

Requerimento indeferido e providência cautelar ainda sem parecer final

A “Plataforma Cidadã Braamcamp é de Todos” interpôs uma providência cautelar no Tribunal Administrativo (TA) de Almada para a suspensão de todos os processos administrativos referentes à requalificação da Quinta do Braamcamp. A submissão do documento foi aceite e agora segue em vigor o prazo de refutação. Apesar deste contexto, o vereador Rui Braga mantém uma postura positiva, referindo que “a resolução final há-de ser favorável ao projecto da Braamcamp”.

Na providência cautelar submetida Rui Braga aponta alegações “com erros”, por parte da plataforma cidadã. “Como a referência a um estádio de futebol, quando o projecto da Braamcamp apresenta a construção de campo polidesportivo”, segundo refere a O SETUBALENSE.

Com a decisão sobre a providência cautelar ainda por apurar, a autarquia apresentou ao TA uma resolução fundamentada, invocando “o interesse público”, para que fosse possível prosseguir com a abertura das propostas submetidas ao concurso público da Braamcamp, marcada para 17 de Abril.

No dia 17 de Abril, a plataforma cidadã Braamcamp ainda apresentou no TA de Almada um requerimento, com o objectivo de refutar esta resolução fundamentada, “mas o mesmo viria a ser indeferido” e a abertura das propostas prosseguiu.

Agora quem contesta a legalidade do processo são os vereadores da CDU. Em comunicado apontam que após terem sido feitas observações na sessão de Câmara de 15 de Abril, “não foi prestada qualquer informação sobre a Braamcamp e o estado providência cautelar”.

Comentários

- Pub -