Crowdfunding. Campanha do jornal quase estagnou nos últimos dias

87
visualizações

Redução de doações compromete objetivo necessário para assegurar publicação em Maio

A campanha de crowdfunding, recolha de fundos, que O SETUBALENSE tem em curso, está quase estagnada desde quinta-feira, tendo recebido somente dois donativos na plataforma.

- Pub -

Os leitores Helena Oliveira, doou 5 euros, e Rui Manuel Silva contribuiu com 2 euros e uma mensagem de incentivo. “Continuem com o óptimo trabalho. Um jornalismo regional de qualidade e credível é necessário quando temos uma imprensa centralista.”, escreveu.
Com um total de 5.437 euros, a recolha está ainda muito longe dos 15 mil euros previstos na plataforma o que significa que só com um reforço da contribuição dos leitores e da comunidade será ainda possível atingir o objectivo. O prazo chega, porque a campanha só encerra a dia 2 de Junho, mas o ritmo e os montantes das contribuições quase estagnou.

Além dos 15 mil euros que constam como objectivo na plataforma, o jornal precisa de angariar outros 15 mil euros, para atingir o total de 30 mil euros necessários para assegurar a publicação regular nos meses de Abril e Maio. Contando com as ajudas fora do crowdfunding, por parte de empresas que já participaram através da aquisição de publicidade, o total recolhido até agora vai em 13.337 euros. O que significa que, ao valor recolhido na plataforma, somam-se 7.900 euros.

Com estes resultados, está longe ainda o objectivo total da campanha, de 30 mil euros, e em risco a ajuda através da plataforma de crowdfunding, uma vez que os valores que tiverem sido doados sob condição de ser atingido o total serão devolvidos aos apoiantes.
Por isso, o jornal apela aos leitores para que ajudem a atingir o montante necessário, para que o objectivo possa ser atingido e O SETUBALENSE consiga manter a publicação diária até ao final de Maio.

Leitora envia cheque de 100 euros

Na quinta-feira, uma leitora surpreendeu-nos com o envio de um cheque, para o jornal, no valor de 100 euros. A generosa leitora, que não quer ser identificada, escreveu também uma bonita mensagem.

“Nestes dias angustiantes não podemos esquecer quem nos informa, principalmente a nível local. Que o jornal de tão longa data, não desapareça.”, refere a nota desta leitora de Setúbal.

O jornal agradece a esta leitora e a todos os outros que têm contribuído, assim como às empresas participantes.

Até ao momento os montantes mais elevados doados directamente na plataforma foram os da Fundação Buehler-Brockaus (2.000 euros) e de um empresário sadino que quer manter anonimato (mil euros).

Por parte das empresas, confirmamos os contributos de uma multinacional de Setúbal, que prefere não ser identificada, associada da Associação Industrial da Península de Setúbal (AISET), da Ambilital, da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS) e de Paulo Veiga, da EAD.

Para mais informação veja o anúncio no site d’O SETUBALENSE, entre na plataforma PPL Crowdfunding Portugal, onde está a decorrer – veja no link ppl.pt/causas/osetubalense – ou ligue 265 094 354.

Comentários

- Pub -