Setúbal confirma 225 testes à Covid-19 no primeiro dia de rastreios em lares

117
visualizações

Esta semana Barreiro, Montijo e Sesimbra avançam com rastreios a profissionais. Moita ainda não confirmou datas

 

- Pub -

Setúbal encerrou a primeira semana de testes a funcionários de lares com 225 rastreios confirmados entre as instituições Lar Acácio Barradas, Centro de Apoio à Terceira Idade, Lar do Centro Paroquial de Nossa Senhora da Anunciada, Lar Paula Borba e Centro de Apoio a Idosos Dependentes, segundo um primeiro balanço desta medida, que a Câmara Municipal disponibilizou agora a O SETUBALENSE.

O ponto de situação da autarquia corresponde aos testes realizados a 27 de Abril. Ficam ainda por contabilizar os testes realizados no dia 28, na Associação Unitária dos Reformados, Pensionistas e Idosos de Azeitão, Associação Humanitária de Bem-Fazer de São Paulo, Liga dos Amigos da Terceira Idade e Lar da Venerável Ordem Terceira do Carmo de Setúbal. Entre estas quatro instituições estavam agendados mais 138 testes.
A confirmar-se este número a Câmara Municipal de Setúbal alcança a meta proposta pela Área Metropolitana de Lisboa (AML), que planeou para a primeira semana de testes, de 27 a 30 de Abril, a realização de cerca de 250 rastreios por dia a profissionais de prestação de cuidados de saúde, em cada concelho.


Ficam ainda por contabilizar Almada, Palmela e Alcochete que iniciaram também na semana passada os rastreios, mas ainda não lançaram informações sobre as métricas alcançadas.

Barreiro e Montijo testam esta semana

No Barreiro os testes a profissionais de lares de idosos e Residências Seniores das Instituições Particulares de Solidariedade Social começam esta semana. “Entre quarta ou quinta-feira os testes vão começar em cerca de oito lares, que incluem dezenas de funcionários”, confirmou Frederico Rosa, presidente da Câmara Municipal do Barreiro, a O SETUBALENSE.

No Montijo os testes vão iniciar também na primeira semana de Maio e serão realizados a cerca de 600 trabalhadores de lares.

Em comunicado a autarquia avança que, “ao contrário do que vai acontecer na generalidade dos municípios do distrito de Setúbal, onde os testes vão iniciar nos lares da rede pública, no Montijo estes testes vão ter lugar nas estruturas residenciais para idosos da rede privada”, uma vez que a Câmara do Montijo já tinha financiado os testes nos lares da rede solidária, “através de apoio financeiro de 50 mil euros à União Mutualista Nossa Senhora da Conceição”.

Esta decisão permite que agora sejam realizados testes nos lares detidos por instituições privadas e outras respostas de natureza residencial, “como Centros de Acolhimento Temporário, Lares de Jovens ou a Casa Abrigo para Mulheres Vítimas de Violência Doméstica”, afirma o vereador do pelouro da Acção Social, Ricardo Bernardes.

Os testes realizados são antecedidos de visitas técnicas às instituições, realizadas por elementos da protecção civil e das autoridades de saúde locais. Estas visitas “permitem não só clarificar e planificar os procedimentos que se devem observar, posteriormente, nas visitas, como também garantir que todas as condições de segurança sanitária são cumpridas”, refere a AML.

Capacidade Instituto Politécnico ajuda a testar

Nas próximas semanas a capacidade de teste aumentará substancialmente, e serão também envolvidos o Instituto Politécnico de Setúbal e a Fundação Champalimaud, para que seja possível chegar aos 500 testes por dia, apontados pela AML como meta. No final do processo, terão sido testados a totalidade dos trabalhadores, num número aproximado de 8 mil.

Quanto à recolha, colheita e entrega de testes para análise é da responsabilidade dos Agrupamentos dos Centros de Saúde e das Comissões de Protecção Civil. O tratamento e análise são garantidos pela Faculdade de Ciências, Instituto Superior Técnico e Instituto de Medicina Molecular, da Universidade de Lisboa, Instituto de Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e Cooperativa de Ensino Superior Egas Moniz.

Comentários

- Pub -