Covid-19: Almada aprova plano de cinco milhões de euros para ajudar cidadãos

52
visualizações

A Câmara de Almada aprovou um plano solidário de cinco milhões de euros para ajudar os cidadãos que se encontrem em situação de vulnerabilidade económica, disponibilizando alimentos, medicação ou pagamento de despesas urgentes, anunciou hoje a autarquia.

- Pub -

O Plano Almada Solidária, ratificado na quinta-feira em reunião de câmara, representa “um investimento de cinco milhões de euros até 2021”, sendo “a maior iniciativa de apoio social já lançada em Almada”, no distrito de Setúbal, apontou a presidente da câmara, Inês de Medeiros (PS), em comunicado.

O projecto surgiu “no contexto da pandemia da Covid-19” e divide-se em três programas, um dos quais o Almada Emergência, que vai ajudar os cidadãos e entidades do concelho que se encontrem “em situação de grande vulnerabilidade social”.

Neste sentido, indicou, serão dadas respostas como alojamento, refeições, bens alimentares, higiene pessoal ou acolhimento para pessoas em situação de sem-abrigo.

Além disso, o município vai distribuir máscaras reutilizáveis a toda população, começando pelos “bairros sociais e famílias vulneráveis já identificadas”.

Já para as associações e colectividades, avançou, existirá “uma comparticipação ao nível das despesas com recursos humanos, rendas e consumos correntes, produtos e equipamentos de limpeza e aquisição de serviços”.

Outro dos programas é o Almada Próxima, que “irá permitir às famílias com menos recursos acederem a alimentos, bens e serviços essenciais”, com a criação de lojas solidárias e de mercearia social.

Além disso, serão disponibilizados balneários para permitir a higiene pessoal dos cidadãos, assim como eletrodomésticos ou mobiliários do Estaleiro Municipal que esteja “em condições de reutilização”, referiu.

Neste âmbito, também será criada uma oficina social para “promover a melhoria das condições de vida dos munícipes, através de serviços como canalização, eletricidade, carpintaria, serralharia e serviços de pedreiro”.

Por fim, a autarquia criou o Programa Almada Cuida, que promove a “inclusão social e cidadania” através da saúde, lazer, cultura e desporto.

Na área da saúde, foi implementado o ‘Farmácias Solidárias’, para apoiar famílias e pessoas “que se encontrem em situação comprovada de carência económica na aquisição de medicação comparticipada pelo Serviço Nacional de Saúde”.

Também existirá uma linha que disponibiliza “apoio financeiro pontual para pagamento de despesas” e um cartão municipal “para promover o acesso à cultura, desporto e outras atividades”, revelou.

As associações e coletividades também não ficaram esquecidas pelo município nesta reunião, tendo sido aprovada “a manutenção de todos os contratos, protocolos e apoios de âmbito cultural, desportivo e familiar, no valor de 800 mil euros”.

“A decorrer está já a 1.ª fase de candidaturas aos apoios no âmbito do Regulamento Municipal ao Movimento Associativo, que totalizam, até ao final de 2020, 600 mil euros, ao qual acrescem os 200 mil euros previstos como medida complementar”, adiantou a autarquia, na nota divulgada.

Lusa

Comentários

- Pub -