Testes a lares de Palmela alcançaram 750 funcionários com resultados negativos na segunda fase

21
visualizações

Rastreios mais recentes englobaram 350 profissionais. Álvaro Amaro quer iniciativa alargada aos não licenciados

 

- Pub -

 

Os testes à Covid-19 feitos aos profissionais de lares, quer da rede solidária quer privados, e a funcionários do apoio domiciliário, no concelho de Palmela, totalizou “um total de 750 rastreios”, revelou o presidente da Câmara, Álvaro Balseiro Amaro. Na segunda fase da despistagem, realizada no passado dia 13 e que incidiu sobre 350 trabalhadores de lares particulares e de serviços de apoio domiciliário, “os resultados foram todos negativos, à excepção de dois [inconclusivos] que vão ser repetidos”, confirmou o autarca.

Álvaro Amaro considera que a iniciativa “tem sido muito importante, pertinente e preventiva”, até porque, em caso de identificação “permite o confinamento e tratamento de eventuais infectados, travando potenciais contágios num grupo de risco, como o é o dos idosos”.

Por isso mesmo, o edil defende que iniciativa preventiva deve ser alargada e adiantou: “Quer no âmbito da Área Metropolitana de Lisboa quer da Segurança Social e da Saúde, temos tentado e estamos a tentar influenciar o desenvolvimento de uma acção da mesma natureza para os lares não licenciados”.

A pretensão, porém, tem esbarrado na indecisão da tutela. “Compreendemos a hesitação do Ministério da Saúde e da Segurança Social porque estes lares obedecem a uma fiscalização que pode ditar, além da continuidade de uns, o encerramento de outros, face às condições apresentadas ou falta delas”, admitiu. O eventual encerramento, num momento como o actual e “sem alternativa” para colocação dos utentes desses espaços noutro local, faz com que o presidente da Câmara “compreenda a hesitação”. Todavia, tem de haver “um trabalho conjunto, da Saúde, da Segurança Social, da Protecção Civil, sobre essa matéria”, reforçou.

Paralelamente, a testagem aos funcionários das creches no concelho também já foi cumprida, mas no âmbito de uma acção dinamizada apenas pela tutela. Álvaro Amaro adiantou que, pelos dados que dispõe, também não se registou qualquer caso positivo.

Movimento associativo

Entretanto, o edil assinalou que começam a surgir “avisos e candidaturas” para a retoma da actividade económica, que até “vêm no seguimento do documento com as 70 medidas apresentadas pelo município” a várias entidades competentes, e alerta para a necessidade de se olhar para o sector do movimento associativo.

“Vive das poucas receitas que consegue criar e dos apoios das autarquias. Ao fim de dois meses e meio sem receitas, seria bom um programa, a exemplo do ‘Adaptar’, que apoiasse as colectividades na sua readaptação aos novos tempos”, defendeu, sublinhando que as associações culturais, desportivas e de recreio “também precisam de desinfectar espaços, de material de protecção e vão ter custos acrescidos”.

A criação de um programa, como o do apoio às micro, pequenas e médias empresas, “é importante a nível nacional”, face “ao peso do movimento associativo na economia social”, já que as colectividades envolvem “milhares de dirigentes voluntários, praticantes de diversas actividades e também geram emprego, pagam impostos e fazem serviço público”, destacou, a concluir.

Reunião de câmara Dois milhões para oito obras em cima da mesa

Álvaro Balseiro Amaro vai levar à reunião de câmara de amanhã, agendada para 15h00, no Auditório da Biblioteca Municipal de Palmela, “um conjunto de empreitadas em curso”, cujo investimento total ascende a cerca de “dois milhões de euros”.

Trata-se de obra “em infra-estruturas, rede viária e espaços de jogo ou recreio”, como jardins, empreitadas essas que “foram hoje [ontem] publicadas em Diário da República e que até final da semana vão totalizar dois milhões de euros”, disse. “São oito grandes empreitadas no concelho e esta é também uma forma de dinamizar a economia”, acrescentou.

Na ordem de trabalhos consta, entre outras propostas, um conjunto de apoios ao movimento associativo.

A sessão realiza-se à porta fechada mas será transmitida em directo, como habitualmente, nas plataformas digitais do município.

Comentários

- Pub -