Partidos exigem ao Governo novo Centro de Saúde do Alto do Seixalinho

28
visualizações
Fotografia Alex Gaspar

Nova unidade de saúde permitirá levar cuidados de saúde primários a 15 mil habitantes do Barreiro

 

- Pub -

Uma petição da Comissão de Utentes da Saúde do Barreiro, para a construção urgente de um centro de saúde no Alto do Seixalinho, concelho do Barreiro, foi ontem apresentada na Assembleia da República durante o debate quinzenal do Parlamento. PS, PSD, PCP, BE, PAN e CDS foram unanimes na reivindicação desta unidade de saúde para o concelho e na exigência de médico de família para todos os utentes do Barreiro.

Em representação da bancada socialista, a deputada Eurídice Pereira garantiu que o projecto de arquitectura já foi concluído pela Administração Regional e Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) e que o município está a avançar com a sua parte rapidamente.

A deputada Paula Santos do PCP, eleita pelo distrito de Setúbal, foi a porta voz da petição subscrita por mais de 4 mil pessoas e recordou que esta Unidade de Saúde Familiar (USF) está planeada desde 2014, com terreno já cedido pela autarquia. Motivos que levam o PCP e exigir ao Governo que “resolva esta situação definitivamente”.

Sandra Cunha, do Bloco de Esquerda, recordou as trocas no terreno inicialmente atribuído para a construção do equipamento, frente ao Hospital Nossa Senhora do Rosário, onde agora funciona uma superfície comercial do grupo ALDI e está a ser concluído outro edifício que servirá uma cadeia de fast food, tendo o terreno para o novo centro de saúde sido atribuído na zona da Escavadeira, próxima à linha ferroviária, já em 2017.

Alterações que ao longo de seis anos não trouxeram a solução muito esperada por 15 mil utentes.

Para a deputada é notória a urgência do equipamento, mas não esquece que o anterior,
na Avenida de Bocage “nunca deveria ter sido encerrado sem uma solução alternativa”, uma vez que “sem acesso a cuidados de saúde primários muitos utentes recorrem aos serviços hospitalares e, por consequência, causam uma sobrecarga no serviço de urgência do Hospital do Barreiro”.

Para conter a situação actual, o BE sugere que devem ser aplicadas medidas “como o alargamento do horário de atendimento nas outras unidades de saúde do concelho em dias úteis e aos sábados” e criar condições para que estes equipamentos possam ter respostas para na área da saúde mental.

O BE apresentou também um projecto resolução, no qual defende a construção urgente do centro de saúde no Alto do Seixalinho e a atribuição de uma equipa médica completa para a nova unidade.

Em representação do PAN, a deputada Cristina Rodrigues apresentou também um projecto resolução que, à semelhança do BE, defende não só para a construção da unidade do Alto do Seixalinho, “mas a atribuição de médico de família a todos os utentes do Barreiro”.

Ana Rita Bessa, da bancada CDS-PP, recordou ainda que no concelho do Barreiro, “18 mil utentes não têm médico de família”, exigindo ao Governo que cumpra a garantia de atribuir um médico de família a todos os utentes.

Quanto à construção do novo centro de saúde, o CDS concordará com a mesma se for realizada no terreno atribuído em 2017, na zona conhecida como Escavadeira, uma vez que é “amplo, localizado próximo a uma escola e bem servido pela rede de transportes públicos”.

Pelo PSD, Nuno Carvalho, concordou com a pertinência da petição para a construção da nova USF referindo do que “não existe qualquer dúvida que este tema reúne amplo consenso, contudo não se consegue perceber porque é que os mesmos partidos que viabilizaram os últimos cinco orçamentos de estado, não resolveram, não colocaram a construção de uma Unidade de Saúde Familiar entre as prioridades”.

Nuno Carvalho adiantou ainda o trabalho político e preocupação que o PSD tem tido sobre assunto referindo-se aos autarcas dos PSD que “têm insistido na importância desta unidade de saúde, e que, inclusive, “foram chumbadas recomendações propostas pelo PSD no sentido de se avançar com um centro de saúde no Alto Seixalinho”.

 

Câmara do Barreiro avança com processos de especialidade

após aprovação de arquitectura

 

A deputada do PS, Eurídice Pereira, recorda que a petição ontem apresentada “deu entrada na AR na anterior legislatura”. E que “de lá para cá, o processo teve andamento e encontra-se em desenvolvimento”, com a deputada a recordar que em Maio de 2019 a Câmara do Barreiro e Administração Regional e Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) assinaram um protocolo de cooperação para a construção da unidade de saúde. E, a 18 de Março de 2020, foi efectuada uma adenda ao protocolo para que o estudo de arquitectura fosse elaborado pela ARSLVT.

“O que já foi concluído e entregue no dia 27 de Maio”, refere a deputada, destacando que desta formo o município pode “dar os passos seguintes”. Neste caso a elaboração dos processos de especialidade, que cabem à autarquia, e uma candidatura a fundos comunitários, uma vez que 50% da obra será financiada por esta via.

Comentários

- Pub -