150 anos de Alfredo da Silva põem País a olhar para o Barreiro

102
visualizações
A CUF não só trouxe desenvolvimento ao Barreiro mas também ao País, e um novo espírito solidário de empresa

Até Junho de 2021, vários estudos, colóquios, uma conferência nacional e um concurso vão recordar a vida e obra do industrial que transformou a imagem do concelho

 

- Pub -

 

Se fosse vivo, o histórico fundador da Companhia União Fabril (CUF), Alfredo da Silva, assinalava a 30 de Junho do próximo ano o seu 150º aniversário. Por esse motivo e para celebrar a data, a Fundação Amélia de Mello (FAM), deu início esta semana ao programa comemorativo, que arrancou esta terça-feira, formalmente, com uma cerimónia pública, na Associação Industrial Portuguesa, que contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Neste âmbito, serão realizados a partir de Setembro e até Junho de 2021, um conjunto de estudos, colóquios e uma conferência nacional, que têm por objectivo lembrar a vida e obra do industrial que mudou a imagem do Barreiro e empregou milhares de pessoas na região, num momento que pretende colocar Portugal a reflectir sobre “o futuro da indústria” nacional.

Um total de 12 colóquios e a referida conferência, a realizar em Lisboa, para além de um concurso dirigido a jovens estudantes do ensino básico, secundário e profissional, fazem parte do programa delineado pela FAM, que inclui ainda “a atribuição de três prémios científicos, o apoio ao desenvolvimento de estudos e obras de investigação, um filme sobre Alfredo da Silva e a emissão de quatro selos comemorativos dos CTT”.

Nos meses de Maio e Junho de 2021, está prevista a realização no Barreiro de dois destes colóquios. O primeiro, sobre “Patrimónios Fabris e Requalificação Urbana”, organizado pela Universidade Autónoma de Lisboa, e o segundo acerca de “A Obra Social da CUF”, nas instalações da Escola Alfredo da Silva, com os festejos a encerrarem na mesma altura, na Fundação Calouste Gulbenkian, com uma conferência nacional que vai reunir um painel de oradores, nacionais e internacionais.

Ciente da importância de celebrar a sua obra, a fundação, que herdou o nome da sua filha, quer comemorar este aniversário, promovendo e “apoiando um conjunto alargado de iniciativas”, revelam os promotores, que desejam que os participantes nos eventos já programados “tenham a oportunidade de compreender, valorizar e assumir os valores fundamentais da liberdade de iniciativa, do empreendedorismo, do trabalho, da liberdade económica e da solidariedade económica”.

Prémios desafiam milhares de estudantes

Quem é, o que fez e o que deixou, são algumas das questões que servem ainda de pontapé de saída aos Prémios Alfredo da Silva, lançados pela FAM, que procuram premiar os melhores trabalhos de um universo de 700 mil alunos do 3º ciclo do ensino básico, e dos ensinos secundário e profissional, sobre uma das personalidades que marcou de forma significativa a transformação da imagem do território barreirense, actualmente, ainda visível em alguns pontos do concelho e no parque empresarial Baía do Tejo, onde existiram grande parte das indústrias e permanece o memorial a Alfredo da Silva.

Neste concurso, podem participar os jovens que frequentem Agrupamentos de Escolas ou estabelecimentos não agrupados, bem como o ensino particular e cooperativo, sendo atribuídos até três prémios, aos melhores trabalhos dos alunos nas categorias de trabalhos escritos, em suporte vídeo, fotografia, esculturas ou, em trabalhos de pintura e desenho.

O primeiro classificado recebe uma bolsa no valor de cinco mil euros, o segundo uma de mil euros e o terceiro, uma bolsa de 500 euros. Cada um receberá, adicionalmente, uma viagem de uma semana a Bilbao e Santander, que inclui uma visita à fábrica da Bondalti, situada em Torrelavega.

Jorge Quintas, daquela fundação, sublinha que “quem quiser estudar o seculo XX português, necessariamente terá de estudar a CUF”, enquanto “principal grupo industrial nacional”.

Recorde-se que o presidente da fundação, Vasco de Melo, é CEO do Grupo José de Mello, que integra empresas como a Brisa, Hospital CUF Tejo ou o complexo industrial Bondalti, em Espanha. Já o vice-presidente, Manuel Alfredo de Melo, é o homem-forte do Grupo Sovena, líder mundial de óleos e azeites, com marcas como o óleo Fula e o azeite Oliveira da Serra, que anunciou recentemente um investimento de 4 milhões de euros na unidade situada no Barreiro.

Comentários

- Pub -