União e Capricho: O Clube que fazia bailar o Monte de Caparica está reduzido a um espaço de convívio

17
visualizações

Quase nada acontecia na Caparica que não passasse pelo Clube Recreativo União e Capricho, mas hoje é bem diferente

 

- Pub -

“Foi constituida no logar do Monte, freguezia de Caparica, no dia 31 de Janeiro de 1911, uma sociedade com a denominação de Club Recreativo União e Capricho”, assim se lê, em escrita da época, nos estatutos do agora Clube, que aceitava como sócios tanto homens como mulheres, nacionais e estrangeiros, maiores de 16 anos. Às mulheres casadas era-lhes imposto que apresentassem autorização dos maridos, e aos menores a dos pais ou tutores.

O objectivo era proporcionar aos seus sócios “recitas, concertos, bailes, jogos considerados licitos e quaesquer outros divertimentos que possam contribuir para o desenvolvimento d’este Club”, assim publica o blogue Mar de Caparica, que transcreve parte da história desta colectividade.

É uma das primeiras associações fundadas em Portugal na linha do pensamento liberal, inspirado na revolução francesa, e tinha para além do convívio e diversão a vontade de afastar os homens das tabernas e promover a instrução musical e a literacia.
Em 1953 o CRUC Capricho, como é popularmente conhecido, tornou-se na primeira colectividade do concelho de Almada filiada na Federação Portuguesa das Colectividades de Cultura e Recreio. Em finais do primeiro quarto do Século XX instalou-se na Rua Alfredo Cunha, onde ainda se encontra.

O ténis de mesa chegou nos finais de 1950 e viria a revelar-se principal modalidade no clube. Na década de 80 foram criadas equipas seniores e juvenis de futebol de salão. Esporadicamente, o clube participava em provas de atletismo. Ao mesmo tempo, “continuava a dinamizar a vida social com os seus bailes, récitas e teatro”, conta António Pardal, presidente do CRUC Capricho.

Actualmente, o Capricho rege-se pelos estatutos de Março de 2004. Mas a vitalidade de outrora perdeu-se. “Há anos, a nossa sede estava sempre cheia, era um ponto de encontro incontornável. Organizávamos excursões e uma grande sardinhada anual”, lembra. Mas os anos têm sido penosos para as colectividades e “o associativismo está a morrer”, lamenta.

Antes da pandemia, o clube ainda recebia vários sócios e amigos para os jogos de salão, mesmo assim já “era um espaço de convívio em que, a maior parte das pessoas que vinham, eram idosos”.

Hoje, ainda são menos aqueles que param na sede. “Por causa da pandemia não se pode jogar cartas, nem damas ou dominó. Apenas as mesas de snooker funcionam, e só até às 20h00, hora a que fechamos.” E o amanhã também não se revela muito risonho. “Os tempos que aí vêm vão ser muito difíceis”, conclui António Pardal

Cerca de 70% dos sócios têm mais de 70 anos

O Capricho, “hoje é um centro de dia”, diz António Pardal quase num lamento, mas também com a satisfação do Clube continuar a ser útil à comunidade. “Quem vem à sede são pessoas idosas, todas elas na casa dos 70 anos”.

E já fez contas; dos 334 sócios do Clube Recreativo União e Capricho, “cerca de 70% tem mais de 70 anos”. Outro dado que já apurou é que só 80% dos sócios pagam quotas.
Este um problema que afecta grande parte das colectividades, mais ainda quando “os apoios da Câmara Municipal de Almada ou da Junta de Freguesia não são suficientes para fazermos face às despesas. E agora pior ainda onde nem podemos contar muito com a receita de bar”.

Numa colectividade que ‘mandava’ na dinâmica na vida da vila, agora pouco mais se pode fazer do que ler jornais e ver um pouco de televisão.

BI
Nome: Clube Recreativo União e Capricho
Também conhecido por: CRU Capricho
Localidade: Monte de Caparica
Data de fundação: 31 de Janeiro de 1911
Principais actividades: Jogos de salão, convívio
Actual presidente: António Pardal

Comentários

- Pub -