Penúltima etapa da Volta a Portugal termina em Setúbal e passa por Montijo e Palmela

710
visualizações

Depois das metas volante em Montijo e Palmela, o pelotão vai trepar ao Alto da Arrábida, numa subida de segunda categoria, para atacar pouco depois a linha de chegada instalada na Avenida Luísa Todi

 

- Pub -

Agendada para 4 de Outubro, a sétima e penúltima etapa da edição especial deste ano da Volta a Portugal em bicicleta vai terminar em Setúbal, depois de passar por Montijo e Palmela.

Será de Loures que os ciclistas vão partir com o pensamento em cortar a meta final instalada na Avenida Luísa Todi. A etapa – a ligar Loures e a cidade de Manuel Maria Barbosa du Bocage – contempla uma extensão de 161 Km. E será em terras sadinas que apresentará uma subida de segunda categoria: a 13,4 quilómetros da chegada, o alto da Arrábida servirá de palco a uma luta exigente e mais apetecível para os trepadores – especialistas em subidas.

Este prémio de segunda categoria é, segundo a Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), “um convite às movimentações dos candidatos à vitória” na Volta. “Em 2017, com um final de corrida semelhante a este, logo na primeira etapa, ficou encontrado o restrito lote de candidatos à vitória final”, pode ler-se no site da FPC que detalha as etapas da competição.

De permeio, esta sétima etapa contará com metas volante em Montijo (ao quilómetro 98,4) e Palmela (ao quilómetro 119,8).

Esta edição especial vai ligar Fafe a Lisboa, entre 27 de Setembro e 5 de Outubro, num percurso de 1183,9 quilómetros, que inclui subidas à Senhora da Graça e Torre.

O arranque da prova rainha do calendário nacional acontece em Fafe, uma das paragens habituais da Volta a Portugal, com um prólogo de sete quilómetros que ‘entregará’ a primeira amarela e que é talhado para homens velozes que se dão bem com a luta contra o cronómetro.

A versão mais curta da corrida não permite momentos de descanso ou transição e, assim, logo ao segundo dia, os ciclistas enfrentam a etapa mais longa da competição, uma ligação de 180 quilómetros entre Montalegre e o alto de Santa Luzia, em Viana do Castelo, onde está instalada uma contagem de montanha de terceira categoria coincidente com a meta.

Um dia entre a Senhora da Graça e a Torre

O primeiro grande teste às forças dos favoritos está, contudo, reservado para a segunda etapa, que começa em Paredes e termina, depois de ultrapassados 167 quilómetros, no alto da Senhora da Graça, em Mondim de Basto.

Nesse dia 29 de Setembro, o pelotão irá ainda enfrentar, antes da subida ao ponto mais alto do monte Farinha, outras duas outras contagens de primeira categoria, na serra do Marão (aos 96 quilómetros) e em Aldeia do Barreiro (131,7).

Os ‘sprinters’ deverão ter uma oportunidade no final dos 171,9 quilómetros da terceira tirada, entre Felgueiras e Viseu, um dia teoricamente ‘tranquilo’ para os homens da geral, antes da jornada que poderá ser a mais decisiva na luta pela amarela: na quarta etapa, há 148 quilómetros para percorrer entre a Guarda e o ponto mais alto de Portugal Continental, a Torre. A meta, coincidente com um prémio de montanha de categoria especial, será alcançada pela vertente que muitos consideram a mais exigente da serra da Estrela, a subida de 20,2 quilómetros desde a Covilhã, com passagem pelas Penhas da Saúde. A escalada de segunda categoria nas Penhas Douradas (ao quilómetro 72,5) e a subida de terceira categoria em Sarzedo (111) completam a ‘ementa’ montanhosa do dia.

A quinta etapa, que vai ligar Oliveira do Hospital a Águeda, ao longo de 176,3 quilómetros, dará nova hipótese de vitória aos mais velozes, na véspera de a Volta a Portugal assinalar o cinquentenário da primeira vitória de Joaquim Agostinho, num périplo de 155 quilómetros na região Oeste, entre as Caldas da Rainha e Torres Vedras.

Loures, onde a República foi declarada um dia antes do resto do País, a 4 de Outubro de 1910, assinala a efeméride com o arranque da sétima etapa, que terminará em Setúbal, já depois de uma subida de segunda categoria na Arrábida, a 13,4 quilómetros da chegada, e de percorridos 161 quilómetros.

A etapa final realiza-se em Lisboa com um contra-relógio de 17,7 quilómetros, que parte da Avenida Ribeira das Naus para chegar na Praça do Comércio. Lusa

 

Percurso:

27 Set: Prólogo, Fafe – Fafe, 7 km (CRI).

28 Set: 1.ª Etapa, Montalegre – Santa Luzia (Viana do Castelo), 180 km.

29 Set: 2.ª Etapa, Paredes – Senhora da Graça (Mondim de Basto), 167 km.

30 Set: 3.ª Etapa, Felgueiras – Viseu, 171,9 km.

1 Out: 4.ª Etapa, Guarda – Torre (Covilhã), 148 km.

2 Out: 5.ª Etapa, Oliveira do Hospital – Águeda, 176,3 km.

3 Out: 6.ª Etapa, Caldas da Rainha – Torres Vedras, 155 km.

4 Out: 7.ª Etapa, Loures – Setúbal, 161 km.

5 Out: 8.ª Etapa, Lisboa – Lisboa, 17,7 km (CRI).

Comentários

- Pub -