18 Janeiro 2021, Segunda-feira
- PUB -
Início Desporto Animosidade entre presidentes marca reencontro entre Câmara e Vitória

Animosidade entre presidentes marca reencontro entre Câmara e Vitória

Troca de acusações entre município e direcção vitoriana subiram de tom nos últimos dias.

Numa altura em que o clima de guerrilha entre a direcção do Vitória FC e a Câmara Municipal de Setúbal está o rubro, representantes da autarquia vão estar hoje, a partir das 14 horas, no Estádio do Bonfim. Depois de adquirir os direitos de superfície do recinto a autarquia vai realizar uma “visita técnica das instalações acompanhados por membros do executivo camarário e funcionários para mudar as fechaduras”.

- PUB -

Na sexta-feira o clube celebrou o 110.º aniversário e a presidente do município, Maria das Dores Meira, assumiu a animosidade com o dirigente vitoriano, a quem não poupou críticas no momento em que explicou a ausência de Paulo Rodrigues da festa que decorreu diante dos Paços do Concelho. “Não foi convidado porque ninguém o desejava ter aqui. Não somos obrigados a aceitar os maus tratos, as mentiras e tudo o que diz aos funcionários do Vitória e aos atletas. Da Câmara Municipal, o senhor tem dito tudo o que lhe passa pela cabeça, o que é verdade e o que não é. Para a Câmara, não é de todo uma pessoa respeitável e querida”.

Na ocasião, Maria das Dores Meira disse ao nosso jornal que a própria tencionava estar presente na tarde de terça-feira no Bonfim. “A visita será da presidente da Câmara, do vereador do desporto (Pedro Pina) e de alguém das oficinas da Câmara para tratar das fechaduras”, afirmou depois de participar nas celebrações do aniversário do clube e de ter especificado a O Setubalense a finalidade da visita.

“Assumimos um património durante 90 anos e vamos ver como está e mudar as chaves da fechadura. A tomada de posição também é simbólica para as pessoas perceberem que hoje o estádio não é do Vitória, é da Câmara e sendo dela é de toda a cidade e também do Vitória. Não vamos dizer à direcção para se pôr na rua. Vamos dizer que está aqui outra chave para trabalharem, foram eleitos pelos sócios e têm de trabalhar até os sócios quererem. São os sócios os donos do Vitória e não esta direcção ou outra qualquer, sendo certo que a direcção pode governar, não nos vamos meter na vida da direcção”.

- PUB -

Direcção acusa autarquia de ingerência

Na opinião da direcção do Vitória, a Câmara Municipal, através da presidente Maria das Dores Meira, tem-se intrometido nos assuntos do clube. A presença da líder do município e do vereador do Desporto, Pedro Pina, na partida que a equipa principal fez no domingo no reduto do Olhanense é apontada como uma ingerência por parte dos dirigentes vitorianos que foram eleitos nas eleições de 18 de Outubro.

José Neves, vice-presidente e sócio número 7345 do Vitória, considera que “existem interesses políticos, imobiliários e pessoais” a mover a autarquia, que procura derrubar uma direcção [n.d.r.: a 2 de Dezembro decorre uma AG de destituição dos actuais órgãos sociais] que foi “democraticamente eleita” para “poderem mandar o estádio abaixo e construir edifícios”, sugere o empresário imobiliário em carta aberta enviada ao nosso jornal.

- PUB -

E acrescenta: “Nós descobrimos e denunciamos documentos que incriminam muita gente e por esse motivo existe uma cabala contra esta direcção, feita por aqueles que colocaram o Vitória nesta situação. Estamos na direcção há cerca de um mês e o que aqui encontrámos foi inqualificável. Podíamos ter pago mais ordenados mas deixaríamos cair o clube por falta de pagamentos do PER, contas da água e luz com elevadas quantias e avisos de corte, seguros, gás, manutenção entre muitas outras incluindo o pão que não era pago há cinco meses. O Vitória não estava no fundo do poço…estava enterrado no fundo do poço”, afirma.

José Neves finaliza, deixando uma garantia aos sócios: “Queremos a continuação do Vitória e estamos convictos de que os sócios também não querem perder a nossa história. Acreditem que, apesar de tudo, o Vitória não está destruído, nós temos as soluções. Só estamos à espera da Câmara. Sabemos que vão mandar o estádio a baixo mas não vamos permitir”, diz, lançando um repto aos sócios para a tarde de hoje. “Estejam cá dia 24, às 14:00, para dizer não. A presidente vai para Almada, mas o nosso estádio fica”, conclui.

Continuidade do andebol comprometida

Na sexta-feira, com o objectivo de debater a falta de soluções, a secção de andebol reuniu com a equipa sénior para esclarecer os atletas acerca do incumprimento financeiro, da instabilidade do clube e das notícias preocupantes que têm sido veiculadas. “A equipa manifestou preocupação com a actual situação e deu nota das dificuldades financeiras existentes para fazer face ao orçamento familiar e admitem ser forçados a abandonar o projecto e a procurar alternativas que lhes permitam fazer face ao orçamento familiar”.

E acrescenta: “tendo em conta a falta de soluções, o projecto do Andebol do VFC e a continuidade da secção pode estar comprometida”, temem, deixando uma garantia. “Não é intenção, nem da competência desta secção manifestar-se contra ou a favor de qualquer direcção. Primamos pela salvaguarda dos interesses do clube, da modalidade e da cidade, zelando sempre pelo cumprimento dos compromissos assumidos. Por último, desejamos que todas as dificuldades sejam ultrapassadas e que o Vitória FC possa demonstrar toda a sua grandeza”.

Ricardo Lopes
Jornalista
- PUB -

Mais populares

Covid-19 obriga Hospital de Setúbal a activar pela primeira vez nível vermelho de Crise ou Catástrofe

Administração assume em circular normativa que estrutura para atender infectados dá sinais de completa saturação   A administração do Hospital de São Bernardo, em Setúbal, activou...

Apreendidos mais de 330 quilos de pescado em Sesimbra. Valor ultrapassa 4600 euros

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR, por intermédio do Subdestacamento de Setúbal, apreendeu ontem mais de 300 quilos de pescado, em Sesimbra, numa...

Empresa de transportes da Área Metropolitana de Lisboa entra em funcionamento no dia 17

A empresa de Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML), que irá gerir o serviço de transporte rodoviário público na Área Metropolitana de Lisboa (AML), vai...
- PUB -